domingo, 2 de agosto de 2009

Pés em falso


Ando tão calado, tão nervoso, mas não sei explicar o por que disso.
Tanta coisa que eu quero nesta vida, são tantos sonhos, são sem duvida pesadelos.
Aonde esses meus pés vão, eu não faço a minima ideia.
O futuro parece uma infinita quantidades de improvisos, sejam em notas, sejam em versos, sejam em amores.
Eu não to concentrado e isso não é bom.
Eu não estou feliz, e isso não é bom.
Eu não estou triste e isso não é bom.

Eu me sinto sem rumo.

Um comentário:

Neto Cruz disse...

Blog muito massa,
Vô acompanhar sempre.
abraços

Ocorreu um erro neste gadget