quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Um lugar

De longe vislumbro o tempo como a brisa de um vento que passa despercebido, mais não impossível de ser sentido.

O céu, o mar, revelam minha pequenez diante de sua tamanha imensidão.

Ao admirá-lo percebo a minha existência, faço uso dos meus sentidos, acordo para o momento.

Sem muita delonga, surge um riso tímido, acompanhado por pensamentos de momentos que se foram e momentos que virão. Minhas pegadas deixam rastros de lugares bons e ruins que já passei. Os ruins sempre ajudaram a encontrar os bons!

Perfazendo meu caminho tento encontrar o Sol que por dias se esconde, mais sei que ele sempre estará lá.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget