segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Absorto nos meus versos

Absorto nos meus versos, travando guerras contra o ego, luto as minhas batalhas por orgulho, as vezes sei que nao posso vencer mas, mesmo assim continuo, por que? 
Penso em como fazer com que os meus acordes cheguem  ate os seus ouvidos e com a cara amarrada eu praguejo por ser tao previsivel, as vezes eu acho que eu devia ser mais cretino, perder mais a cabeça, malditos padroes morais que me impendem muitas vezes de dizer verdades tao verdades.Eu ja nem sei o que estava falando, ando perdendo o foco, mas ainda sei qual o meu objetivo. O que  Frustra e essa solidao que insiste em continuar.

2 comentários:

Laura disse...

Uau!

Sombras de Anjos disse...

OLá!
Somos feitos de carne e osso,
Somos feitos de defeitos e dúvidas
Somos feito de corpo e alma (Lidi Dias)
Bela escrita!
beijos na alma
Com carinho Lidi Dias

Ocorreu um erro neste gadget