sábado, 5 de março de 2011

Devaneio

Maquinas de produzir e de fazer amor
Nos satisfazemos com coisas supérfluas
Repletas de egocentrismo.

Mas não seriamos humanos sem tal.

A capacidade cerebral que utilizo
Limita-se a copias. Pois nada crio, apenas renovo pensamentos velhos com ideais reciclados.

Quando perdemos o medo da nossa racionalidade será o começo do paraíso.

Ou não.

05.03.11

20h 17 min.

Um comentário:

Paolo Souza disse...

cara que profundo.
gostei muito do texto breve mas com conteudo.
mas em meio a tantos pés que ja tocaram esta terra, seria exigir demais que fizessemos algo novo.
O novo milenio nao eh o da reciclagem à toa.
entao reciclemos ideias.

Ocorreu um erro neste gadget