segunda-feira, 4 de abril de 2011

Sonhos adiados.

Acabaram-se os desejos de rir comigo.

Sinto-me até estranho e me pergunto se tudo aquilo não era a doce necessidade de companhia coerente, ou como gosto de chamar "Teoria da Solidão", afinal ninguém é completo só. As vontades do meu ser mostram-se evidentes, mas sei que não tenho peito para competir com o físico e material. 

Quem disse que tudo isso seria fácil?
Eu não disse que era sempre bonzinho. 

Eu só disse que eu era eu e você acabou por ver o que queria ver e eu por acreditar no que queria acreditar.

Essas danças que os dias fazem turvam a minha visão.

Talvez a maturidade nunca chegue a esses meus ombros, então adio sonhos.



Foto por: Walter Henri

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget